23.12.08

BOM NATAL


A TODOS OS QUE POR AQUI PASSAM, DESEJO UM SANTO E FELIZ NATAL. COM MUITA SAÚDE, AMOR, E PAZ. PRENDINHAS, SE POSSÍVEL, SENÃO LEMBREM-SE, QUE MUITAS VEZES A MELHOR PRENDA SÃO VOCÊS MESMOS. VOU DEIXAR AQUI UMA RECEITA DE RABANADAS. MAS UMAS RABANADAS DIFERENTES, PARA AQUELES QUE GOSTAM DE RABANADAS DE VINHO BRANCO OU DO PORTO, E QUE NÃO AS COMEM POR CAUSA DO ALCOOL.
ESTA RECEITA, FOI-ME DADA POR UM NATUROPATA.
1 cacete
vinho branco ou do Porto,
açúcar
canela em pau
casca de limão
canela em pó
Põe-se ao lume o vinho necessário para as rabanadas, a casca do limão, a canela em pau, e um pouco de açúcar. Quando levantar fervura, reduz o calor ao minimo, e deixa ferver 15 minutos, para evaporar todo o alcool. Entretanto corta-se o cacete em fatias.
Mergulham-se as fatias na calda, e põem-se a escorrer. Depois envolvem-se em ovo batido e fritam-se em oleo bem quente. Envolve-se a canela em pó com um pouco de açúcar, e passam-se as fatias fritas por esta mistura.
E pronto, rabanadas feitas com o sabor do vinho, mas sem o alcool que tantas vezes faz mal em especial para as pessoas de idade.
BOM APETITE
Um obrigada especial à Aspásia que me enviou o vídeo.

17.12.08

A FESTA TRISTE


A festa triste...
Não, o Natal não é uma festa alegre,
é uma festa triste.

De repente
as crianças (logo as crianças!)
separam o mundo em duas metades
desiguais:
de um lado, a abastança, indiferente ou piedosa;
do outro, a necessidade, a mendigar seus restos
como há milênios faz...

As crianças (logo as crianças!)
Algumas com presentes, brinquedos, esperanças,
e as puras alegrias que o bom Velhinho
lhes traz do céu;
outras, sem terem nada, e mesmo tendo pais,
são "órfãos do Natal",
não tem Papai Noel...

Não. Neste mundo como está,
neste mundo profano
que a um olhar mais humanonão resiste),
o Natal pode ser uma festa,
quem contesta?)
mas é uma festa triste...


José G. de Araujo Jorge

15.12.08

INTERROGAÇÕES



Meu Menino Jesus
porque tu não vês
a minha tristeza?
Não quero Menino
que quando cresceres
Te vão a matar.
Quero fiques sempre
nas secas palhinhas
sem nunca sofrer.
Porquê, Menino Jesus
hão-de ser tão maus
os homens no mundo?
Porque Te mataram
e seguem matando
tantos homens bons?

Disse-me a mãezinha
que é a guerra...
Mas diz-me porquê
se fazem as guerras?
Se um dia eu for grande
não permitirei
que príncipe ou rei
só porque o é
me faça matar.

12.12.08

PARA MEDITAR

AGORA QUE O ANO ESTÁ CHEGANDO AO FIM, E UM NOVO ANO SE ANUNCIA, DEIXO ESTE VÍDEO, COMO UM ALERTA A TODOS OS QUE AQUI PASSAM, pARA OUVIREM O VÍDEO, POR FAVOR DESLIGUEM A MÚSICA NO LADO DIREITO.

A TODOS, DEIXO UM ABRAÇO E VOTOS DE BOM DE SEMANA.

7.12.08

OS HOMENS


Folhas perdidas
que o vento levou
pra longe
e deixou...
esquecidas entre pinhais
sujas de lama
vencidas pela vida.

Pássaros feridos
assustados,
caídos...
Gritos mudos
mutilados
em gargantas amordaçadas.

Vendavais de emoções
engolidos
pelos tsunamis da vida.



AOS AMIGOS QUE POR AQUI PASSAM EU DESEJO UM EXCELENTE FERIADO.

3.12.08

MILAGRE NA CAPELINHA


É noite
Tão escura e tão fria,
essa noite.
Ruge o vento e a tempestade,
fustiga impiedosa,
as vidraças da capelinha,
da Virgem Senhora do Monte.

A chuva cai
E logo ensopa o caminhante.
Apressado entra na capelinha,
e ante a Virgem
ajoelha e reza.
Mas a meio da oração,
se revolta o infeliz.
E volta a odiar,
volta a querer matar.

E a Virgem olha silenciosa
o seu amado Filho,
que lhe entende o meigo olhar.
Não, ele não voltará a odiar,
não voltará a querer matar,
pensa Cristo piedoso.
E o vento ruge
e a tempestade
fustiga impiedosa,
as vidraças da capelinha,
da Virgem Senhora do Monte.

Lá dentro um homem reza;
estremecem-lhe os ombros
em convulsivo pranto,
e grita revoltado:
-Oh! maldita seja a guerra,
e os que vivem a fazê-la.

E então...
milagre na capelinha,
Jesus ergue a sua divina mão,
e o homem curva a cabeça,
trementes os lábios mudos,
brilhantes os olhos secos,
cheio o coração de infinita paz.


E o vento ruge
e a tempestade,
fustiga impiedosa,
as vidraças da capelinha...